Espiritualidade ao Fim da Vida: Mesma coisa para Pacientes e Medicos?

“A compreensão da espiritualidade e o papel potencial do cuidado espiritual ao fim da vida e durante os cuidados paliativos – uma meta-análise de pesquisa qualitativa.”

The understanding of spirituality and the potential role of spiritual care in end-of-life and palliative care: a meta-study of qualitative research

A Edwards, N Pang, V Shiu, and C Chan

Revista “Palliative Medicine” de 21/07/ 2010

Este artigo traz a tona a questão da espiritualidade ao fim da vida e, já no seu inicio, levanta a primeira de muitas questões que merecem reflexão:

Sabe-se que os pacientes que recebem cuidados paliativos ganham muito com a atenção especial que é dada a sua integridade física, pessoal e social. Quando os pacientes se movem em direção ao  fim da vida, o confronto iminente com a morte pode levar uma pessoa a uma reflexão espiritual, diz o artigo.

O cuidado espiritual é considerado muito importante para muitos doentes terminais, mas os profissionais têm dificuldade em definir o que esse atendimento pode incluir, significar.

Que tem havido uma crescente separação dos conceitos de espiritualidade e religião, é fato. Para o autor, Religião fala “mais sobre os sistemas”, “uma instituição social organizada por indivíduos que compartilham as mesmas crenças, tradições e rituais”. “Religião é caracterizada, de várias formas, por seus limites” enquanto espiritualidade “por uma dificuldade na definição de seus limites”. Espiritualidade pode ser definida como “uma busca pessoal de significado e propósito na vida, que podem ou não estar relacionadas à religião”.

No texto, a afirmação de que “todos temos questões espirituais” é balizada pelo conceito trazido por Dame Cicely Saunders, que defendeu que somos seres física e espiritualmente indivisíveis.

Diversas organizações em  Cuidados Paliativos advogam a necessidade de integrar os aspectos físicos, psico-social e espiritual. A questão crucial, questiona a pesquisa, é se os próprios pacientes reconhecem o conceito de espiritualidade como aquele definido pelos profissionais de saúde. O que os profissionais assumem como assistência espiritual pode não corresponder com o entendimento dos pacientes e suas necessidades.

É importante, conclui o autor, esclarecer o significado da espiritualidade em relação à saúde, a fim de melhorar a comunicação, prática, ensino e pesquisa, reduzindo o abismo entre as expectativas dos pacientes e as “diretrizes”, os conceitos sobre espiritualidade (enquanto sentido de vida, por exemplo) que tem o profissional de saúde.

O texto na íntegra encontra-se no link abaixo. Mais um artigo que merece nossa reflexão profunda.

http://pmj.sagepub.com/content/early/2010/07/19/0269216310375860.full.pdf+html

Vale a leitura!

Anúncios

Sobre adrianathomaz

Na vida: autenticidade e coerência íntima, amor, muito amor, fé e fotografia! Educação para a morte e o morrer. Terapia do Luto, Dor e Medicina Paliativa.
Esse post foi publicado em "cuidados paliativos", espiritualidade, Profissional e marcado , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s