meu melhor contato: adriana.thomaz@gmail.com

meu melhor contato: adriana.thomaz@gmail.com

Anúncios

Sobre adrianathomaz

Na vida: autenticidade e coerência íntima, amor, muito amor, fé e fotografia! Educação para a morte e o morrer. Terapia do Luto, Dor e Medicina Paliativa.
Esse post foi publicado em "adriana thomaz", "cuidados paliativos", "medicina paliativa", "terapia do luto", adriana thomaz terapeuta, espiritualidade, luto, Profissional, TRABALHO e marcado , , , , , , , , . Guardar link permanente.

12 respostas para meu melhor contato: adriana.thomaz@gmail.com

  1. Cláudia Ap. de Aro Ortolani disse:

    Prezada Adriana
    Não conhecia a terapia do luto e fiquei sabendo através do programa da Ana Maria Braga. Eu perdi meu marido em junho do ano passado. Ele tinha 46 anos e um problema de miocardiopatia dilatada, mesmo assim a sua morte nos pegou de surpresa. Nós namoramos desde os meus 14 anos e ficamos 2o anos casados. Foram 30 anos juntos e temos dois filhos: um rapaz hoje com 20 anos e uma menina com 16. Não consegui aceitar ainda a morte dele e tenho sofrido muito. Eu sou professora e voltei a trabalhar logo depois. Não me entreguei, mas sinto uma tristeza profunda, muita saudade. Procuro fazer aquilo que não dá para deixar de lado, mas não encontro nada mais que me alegre. Tomo remédio para a depressão. Gostaria de perguntar a você sobre as coisas dele. Até hoje não mexi em nada. Continua tudo no mesmo lugar. Ãlgumas pessoas querem me ajudar a arrumar, mas eu não consigo, n ão quero. Será que estou fazendo tudo errado ou devo esperar o momento em que me sinta mais fortalecida para arrumar? Se você puder me responder e me dar alguma orientação eu serei muito grata. Se possível no meu e-mail.
    Abraços
    Cláudia

    • adriana thomaz disse:

      Oi Claudia,
      Meus sinceros sentimentos pela perda do seu marido, seu companheiro de vida…
      A orientação que voce me pede eh muito delicada para ser dada por e-mail… com os dados fornecidos não posso avaliar a situação de forma individual, como deve ser… aconselhamentos desse tipo devem ser feitos com muito cuidado, levando em consideração a história de cada um, com muita precisão, coerência íntima e delicadeza. Respeite seu coraçãozinho e se sentir que pode ser bom, procure ajuda profissional, um terapeuta especializado.
      Meu e-mail: adriana.thomaz@gmail.com
      Com muito carinho e energia para voce e seus filhos,
      Adriana

      • adriana thomaz disse:

        Oi Claudia,
        Você mora no Rio?
        Me escreva com mais detalhes para o e-mail e te responderei por lá, ok?
        Um abraço forte e bem demorado,
        Adriana

  2. Silvana Lofgren disse:

    Gostaria de saber se a sra. conhece o dr. Carlos Eduardo Thomaz, da cidade de Campinas-SP…fui informada que ele trabalha (como a sra.) com terapia do luto. Por favor… ele trabalha na mesma linha de atendimento que a sra? Por que gostaria muito desse atendimento e soube desse profissional de Campinas….Muito obrigada!!

    • adriana thomaz disse:

      Oi Silvana,
      Dr. Carlos Eduardo Thomaz é um profissional renomado, respeitado e experiente, do qual sou suspeita para falar, uma vez que é meu tio… irmão do meu pai, Dr. Arthur Thomaz, médico anestesiologista em Campinas.
      Meu tio não trabalha exclusivamente com o Luto, mas com psicoterapia clínica geral (PHD nos EUA) e certamente estará apto a trabalhar as questões relacionadas as perdas e a morte.
      Receba meu abraço carinhoso,
      Adriana

  3. sol disse:

    Bom dia, Adriana
    Assisti hoje no GLOBO NEWS suas palavras sobre luto e perdas, me emocionei.
    Tenho um ente querido sofrendo muito c/depressão, gostaria de saber se tambem trata este tipo de problema? Como posso contactar c/vç? moro no Rio
    Aguardo seu retorno, e que Deus continue te iluminando sempre…
    Um grande abraço,
    Sol

  4. Olá, Adriana

    Moro numa pequena cidade no interior da Bahia. Aqui não tem ajuda especializada (terapeuta, psicólogo etc.) e, foi em busca de ajuda que encontrei este site. Vou tentar resumir minha enorme dor. Perdi minha mãe há 02 anos e 03 dias e meu pai, apenas 25 dias. Estou sem chão, sem ânimo e totalmente sem rumo. Tenho 32 anos e dois filhos pequenos, meu marido não entende e nem tenta entender a minha dor/tristeza/angústia.( Logo na segunda semana da perda do meu pai ele viajou em uma viagem que estava programada para as férias das crianças, ele levou o nosso filho de 11 anos c/ ele, mas não quis cancelar a viagem. Também, não pedi para cancelar. Não tenho disposição para nada, mal estou trabalhando porque não posso perder o emprego. Afinal, tenho que ajudar meus irmãos que ficaram sem pai e sem mãe, eles têm 23,20 e 16 anos. Peço, encarecidamente, ajuda. Algo que me conforte, que me mantenha vivendo. Por Favor !!!!! se possível mande por email.

  5. Ingrid Magalhães disse:

    Oi Adriana
    Não conhecia a terapia do luto e fiquei sabendo através do programa da Ana Maria Braga, no ano passado. Em setembro do ano passado tive um neném que nasceu com um problema do coração, denominado transposição dos grandes vasos; ele nasceu no dia 09, fez a cirurgia no dia 10 e não resistiu. Sou casada a 18 anos e tenho um filho que está fazendo 18 anos agora em outubro. Bernardo estava sendo esperado com grande expectativa por todos nós e toda família. Sou espírita e de certa forma me ajudou a compreender melhor tudo isso. Na sexta agora completa 1 ano e ainda me sinto completamente desorganizada e perdida, não me entreguei, mas sinto uma tristeza profunda e não consigo enxergar a Ingrid que um dia fui; acho que jamais a sentirei novamente. Até hoje não mexi em nada, o quarto continua com a porta fechada. Entro no quarto, passo o aspirador e fecho a porta. Estou com 39 anos e apesar de ter vontade de tentar novamente, morro de medo. As vezes acho que o fato de não ter decidido ainda engravidar novamente, não tive coragem de mexer no quarto, não sei. A certeza é dor do não vivido, a expectativa que escorreu pelos dedos. Sinto que na nossa pequena família ficou um buraco e que precisa ser preenchido. Como decidir? como ter coragem? Como voltar a sentir prazer pela vida, pelas coisas? acho que o que me faz levantar todos os dias, é Iago, meu filho de 17. Sei que preciso colorir tudo de novo, mas não sei como e isso tem me angustiado muito. Se possível, me oriente, me indique uma leitura, etc… Desde já agradeço toda a atenção dispensada. (Peço encaminhar as orientações por email)

  6. Rosemere fortunato disse:

    Adriana,fiquei feliz em saber que vc esta em uma profissão abençoada,
    Aqui é uma amiga que foi baba de sua filha mais velha Bruna quando vc morava em Valença.
    Um bj de Rosa maria e Rosemere lembra?Se puder nos responda ficaremos gratas.Bj pra sua família.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s